Resenha: Rico e Joana em o Pirulito Assassino

Resenha por Brunna Carolinne

Autora: Maria Izabel Gomes Silva
Editora: Isis
Número de páginas: 332

Ronald Coquinho é dono da maior fábrica de rapaduras da pacata cidade de Quibeleza, no estado do Será. Quando um assassino começa a matar pessoas próximas a ele, tudo indica que o empresário é o verdadeiro alvo das pirulitadas do palhaço. Sim, minha gente, o criminoso usa uma fantasia de palhaço e sai por aí matando as pessoas com um pirulito bem grande e bem duro.
Quem ficou responsável para descobrir a identidade deste assassino inusitado foi Rico Dantas, um talentoso detetive bastante sincero, cavalheiro, perspicaz, inteligente, bem humorado e nada modesto. Assim que assume o caso, Rico começa a receber ajuda de Joana Coquinho, a filha curiosa e determinada de Ronald que gosta demais de investigações policiais. Os dois vivem várias aventuras em suas buscas para resolver o caso, algumas bem cômicas e perigosas.
Rico e Joana em o Pirulito Assassino tem um história bem leve e muito consistente. A construção do enredo, do cenário e dos personagens foi impecável. Logo no início, leitor é conduzido para a atmosfera da narrativa, virando as páginas em uma velocidade impressionante, ávido para chegar ao desfecho e finalmente saber a resolução da trama.
E que desfecho! A identidade do assassino e o que o levou a praticar tantos atos bárbaros nem passaram pela minha cabeça. Fiquei totalmente surpresa. Só não gostei de um detalhe no final, porque fiquei com a sensação de que o assassino é bonzinho e não um delinquente extremamente perigoso...
Todo o livro é carregado de humor, garantindo boas risadas. Senti que algumas passagens foram um tanto forçadas, mas foi um número tão insignificante que até relevei. Algumas partes no começo da obra trouxeram elementos da cultura nordestina e eu amei isso, depois até senti falta deles no decorrer da trama. Já estou ansiosa para conferir a sequência dessa série e saber o que mais Rico e Joana irão aprontar juntos.
Encontrei alguns errinhos de digitação nessa edição. As folhas são brancas, a diagramação é normal e a capa chama atenção. A história é contada em terceira pessoa por um narrador bem diferente e, no final, amei saber a identidade de quem relatou-me as aventuras da dupla.
Com desenvolvimento muito bem bolado e com o final estupendo, o livro é uma ótima pedida para aqueles que, além de querem uma boa história policial, querem dar umas risadas e se divertir com as tiradas dos personagens.

4 comentários:

  1. Eu não costumo ler muitos livros com história policial, mas esse me chamou a atenção logo de cara! Não é a primeira resenha dele que eu leio, e todas despertaram minha curiosidade sobre ele. O que mais me chama a atenção, além de um assassino que mata a pirulitadas kkk, é que o desfecho surpreende, e nada melhor do que um final que empolgada a gente né? Se eu tiver a oportunidade, com certeza vou ler!

    Beijos.
    http://viciosemtres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Brunna querida! Parabéns pela resenha! Muito boa!
    Fico feliz que tenha gostado do livro e posso lhe adiantar que o próximo volume da dupla virá ainda mais elaborado e recheado de ação, emoção, diversão, humor e uma pimenta a mais no romance da dupla :). Imagine o que esse povo irá aprontar em parte da obra, que será fora do país!! Rsss! Aguarde mais diversão!!
    Beijos querida!

    ResponderExcluir
  3. Sempre pensei em ação policial com alguns toques de ironia, mas comédia? Amei o título, já mostra que é algo cômico, "o maior fabricantes de rapadura" shuahsuau , quero muito rir com eles!

    ResponderExcluir
  4. Oi Flor!
    Estou lendo ele e muito curiosa para saber quem é o assassino! Gostando bastante!
    Parabéns pela resenha!
    Beijos
    Ps:Resenha: O Trio - Alane S. A. Brito
    http://overdoselite.blogspot.com.br/2014/02/resenha-o-trio-alane-s-brito.html

    ResponderExcluir

« »
 
Layout por Adália Sá e modificações por Brunna Carolinne. © Proibido cópia total ou parcial. Plágio é crime!