Resenha: E Se Fosse Verdade...

Resenha por Brunna Carolinne

Autor: Marc Levy
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 232

Lauren, uma jovem e bela residente de medicina, sofre um grave acidente e fica em coma profundo. Sem motivo algum aparente, sua alma se desprende do corpo e, agora como fantasma, Lauren consegue ir para qualquer lugar, mas não pode ser vista, ouvida ou tocada.
Arthur é arquiteto e está morando no antigo apartamento de Lauren, e ela está lá, vendo e ouvindo bem de perto tudo o que o arquiteto faz. Um dia, Arthur vê Lauren no armário do banheiro, e é aí que a rotina dos dois muda completamente, pois, juntos, eles participarão de uma arriscada aventura.
No início, o arquiteto se recusa a acreditar na história da médica, que mulher mais doida! Tudo o que ela afirma desafia as convicções de tantas áreas que chega a ser insano. Só que, após alguns diálogos e algumas provas concretas, Arthur fará de tudo para trazer a bela Lauren de volta ao seu estado natural.
Acredito que você já tenha ouvido falar de E Se Fosse Verdade, o filme estrelado por Reese Witherspoon e Mark Ruffalo que já passou milhares de vezes na sessão da tarde. Eu simplesmente amo esse filme, mas o que eu não sabia é que ele é uma adaptação do livro homônimo de Marc Levy. Corri para ler assim que "descobri" isso. Quão grande foi minha surpresa quando comecei a leitura e percebi que o livro quase nada tem a ver com a minha amada adaptação.
Ambas as obras têm, até certo ponto, a mesma premissa, mas a literária não conseguiu me cativar, me prender, me envolver. Apesar do livro ter poucas páginas, alguns trechos são tão entediantes que a leitura se arrastou bastante. Quase não há pontos altos na história, o que só contribuiu para deixar tudo mais monótono ainda.
Narrado em terceira pessoa, o autor deu muita ênfase para a infância de Arthur, seus medos, sonhos e certezas (ou a ausência delas). Não que isso seja definitivamente a raiz do "problema", digamos assim, mas senti muita falta do envolvimento dele com a Lauren e a vida desta. Faltou mais romance e melhor desenvolvimento dos personagens. Isso sem contar que há metáforas demais, detalhes demais e divagações demais. Definitivamente a narrativa não funcionou para mim.
Na trama, uma das poucas coisas que gostei foi a presença de George e Natalia, um policial e sua assistente. Os dois protagonizaram cenas bem cômicas, divertidas e dinâmicas. É claro que também é preciso destacar a brilhante ideia que o autor teve ao criar essa história para mostrar como é importante viver a vida, verdadeiramente.

10 comentários:

  1. Sou louca por esse livro! O filme já havia assistido, mas não sabia que tinha o livro até semana passada. História maravilhosa.

    ResponderExcluir
  2. Eu também amo o filme e nunca tinha visto o livro!
    É um dos meus livros favoritos, que pena que são diferentes. Raramente o filme é melhor que o livro, a única vez que eu vi isso foi com Meu Namorado é um Zumbi, que é melhor que o livro (Sangue Quente).
    Parabéns pela resenha, eu sempre gostei das suas resenha porque da pra entender muito bem sobre os livros :)

    http://dreams-in-books.blogspot.com.br/
    https://www.facebook.com/BlogDreamsInBooks

    ResponderExcluir
  3. Também apenas vi o filme! Mas por sua ótima resenha me deu aquela vontade de descobrir a "verdadeira" historia, pois como sabemos: livro>filme, sempre né?

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  4. Acredita que eu nunca li nada desse autor?!
    Mas morro de vontade, Marc Levy parece ser um ótimo escritor. Sem falar que já vi a adaptação desse livro e gostei muito. Já tive essa obra em mãos, na edição antiga, mas acabei nem lendo pois decidi trocar no skoob.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Tenho vontade de ler, por enquanto só vi o filme que adorei.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Eu também amo o filme e já assisti milhares de vezes! Entendo você ter se decepcionado com o livro, e apesar de todas as diferenças da adaptação (que eu continuo amando) eu gostei bastante. Acho que o que mais me agradou foi exatamente o que te decepcionou. Eu adorei o fato do autor contar um pouco sobre a infância do Arthur e mostrar que algumas das decisões dele faziam total sentido dado o seu passado. No entanto devo concordar que faltou algo a mais no desenrolar do romance entre Lauren e Arthur, senti que foi tudo muito rápido o que acaba sendo compensado no filme (de certo modo). Enfim, adorei a sua resenha e desculpa pelo comentário meio grande rs'

    Beijo,
    Naty.

    ResponderExcluir
  7. Nossa os livros do Marc Levi são uma inspiração

    ResponderExcluir
  8. Eu particularmente não lembro de um dia ter parado para ler uma resenha de livros do autor, apesar de sempre ver alguém publicando. Acho que exatamente por isso é uma grande surpresa ver uma resenha negativa. Tinha a errada impressão de que é um autor perfeito, mas claro que tudo pode depender do momento e/ou leitor, então espero que aproveite mais se um dia tiver a oportunidade de ler esse livro.

    Beijos,
    Ricardo - www.overshockblog.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi Brunna

    Assim como aconteceu com você esse livro também não funcionou para mim. Amo demais o filme e só por isso fui em busca do livro.
    As histórias são bem diferente e eu ainda prefiro mil vezes a adaptação.

    Beijos
    Mundo de Papel

    ResponderExcluir
  10. Oi, flor, tudo bem?

    Confesso que esse livro não me chama muito a atenção. Vejo algumas pessoas falando bem, mas outras, como vc, não ficam tããão animados. Uma narrativa quase sem pontos altos é brabo =(

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir

« »
 
Layout por Adália Sá e modificações por Brunna Carolinne. © Proibido cópia total ou parcial. Plágio é crime!